Navigation

Emirados Árabes vão enviar primeiro astronauta ao espaço

(Arquivo) A missão árabe será lançada em setembro afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 25. fevereiro 2019 - 13:59
(AFP)

Os Emirados Árabes anunciaram nesta segunda-feira que o primeiro astronauta do país do Golfo será enviado à Estação Espacial Internacional (ISS) em 25 de setembro.

O astronauta será escolhido entre dois candidatos: Haza al Mansuri, 35 anos, e Sultan al Neyadi, 37 anos, selecionados entre mais de 4.000 candidatos. O escolhido chegará à ISS a bordo de uma nave russa Soyuz para uma missão de oito dias.

Em uma coletiva de imprensa em Dubai, os dois astronautas, treinados na Rússia, disseram estar orgulhosos de serem selecionados para essa missão.

"Nossa bandeira estará (no espaço) e temos o sonho e a paixão de que nosso país seja um líder neste setor", declarou Mansuri. "Não importa quem for escolhido, fazemos parte de uma mesma equipe", acrescentou Neyadi.

A federação de sete emirados anunciou sua intenção de se tornar o primeiro país árabe a enviar uma sonda sem piloto, chamada "Hope", para orbitar em torno de Marte até o final de 2021.

O xeque Mohamed bin Rashed al Maktoum, vice-presidente e primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos, prometeu em 2017 enviar quatro astronautas dos Emirados à ISS dentro dos próximos cinco anos.

Este programa faz dos Emirados um dos poucos países árabes a enviar um homem ao espaço.

O príncipe saudita Sultan bin Salman havia participado de uma missão de 1985 em uma nave dos Estados Unidos.

Dois anos depois, o sírio Mohamed Fares passou uma semana a bordo da estação Mir da antiga União Soviética.

Os Emirados projetam em longo prazo construir uma "Cidade da Ciência" para recriar as condições de vida em Marte para o estabelecimento de uma colônia habitada no Planeta Vermelho até 2117.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.