Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Central nuclear de Fukushima, em março de 2016

(afp_tickers)

Uma bomba que remontaria à Segunda Guerra Mundial foi descoberta no Japão, nesta quinta-feira (10), na área da central nuclear Fukushima Daiichi, afetada pelo tsunami de 2011 - indicou o operador da instalação, a Tokyo Electric Power (Tepco).

O artefato "foi detectado às 7h30 locais (19h30 de quarta, horário de Brasília) por um funcionário de uma empresa terceirizada para construir um estacionamento", explicou à AFP um porta-voz da Tepco.

De cerca de 85 centímetros de comprimento e 15 de diâmetro, a bomba estava no solo a um quilômetro de distância dos prédios dos reatores 2 e 3 da planta, afirmou a Tepco.

"Avisamos os serviços da Polícia de Futaba que agora estão encarregados de acompanhar o caso", acrescentou o porta-voz.

As Forças de Autodefesa - nome das Forças Armadas japonesas - devem assumir as operações para retirada do artefato, depois de verificar seus riscos de explosão.

Entre as localidades costeiras de Futaba e Okuma (nordeste), a região onde a central de Fukushima Daiichi está situada abrigou, em tempos de guerra, uma base aérea do Exército japonês e foi bombardeada pelos Estados Unidos, ainda segundo a concessionária.

Ambas as cidades foram totalmente evacuadas nos dias que se seguiram à catástrofe nuclear provocada pelo tsunami de março de 2011. Permanecem desertas e desabitadas.

A central nuclear de Fukushima Daiichi está em obra para o desmonte de seus seis reatores. Quatro deles foram danificados pelas explosões de hidrogênio, após o violento tsunami.

AFP