Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Soldados chilenos retiram os escombros após tsunami que atingiu a região de Coquimbo, Chile, no dia 18 de setembro de 2015

(afp_tickers)

O corpo de uma mulher foi encontrado nesta quarta-feira no mar em frente às costas da região de Coquimbo, a zona mais atingida pelo terremoto e tsunami que abalaram o Chile na semana passada.

Um barco pesqueiro encontrou "o corpo de uma mulher de meia idade" a 40 milhas ao norte da região de Tongoy (a 363 km ao norte de Santiago), que acionou uma operação de resgate por parte de um navio e um helicóptero do Marinha que recuperaram os restos mortais da vítima", informou um comunicado da Marinha chilena divulgado nesta quarta-feira.

A equipe de resgate acredita que se trata de uma mulher que está dentro do grupo de desaparecidos em decorrência do terremoto de 8,3 graus e tsunami que atingiu o norte e o centro do Chile, causando grandes prejuízos em Coquimbo (norte).

O Serviço Médico Legal (SML) realizará os estudos pertinentes para determinar se trata-se da mesma mulher que desapareceu na enseada de Totoral após resgatar os filhos em meio ao maremoto.

Depois que a identidade da mulher for confirmada, o número de mortos em decorrência do terremoto subiria para 14, e cinco desaparecidos.

Mais de 13.400 pessoas ficaram prejudicadas pelo abalo e mais de 800 casas ficaram completamente destruídas, segundo último balanço da Oficina Nacional de Emergência (Onemi).

O terremoto da última quarta-feira foi o terceiro em cinco anos a atingir o Chile, o país mais sísmico do mundo. Em 2010, um forte tremor afetou o sul do país - deixando mais de 500 mortos. Em 2014, seis pessoas morreram em Iquique.

AFP