Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Paciente com cólera

(afp_tickers)

Uma epidemia de cólera deixou pelo menos 18 mortos desde o começo de junho no Sudão do Sul, que sofre há um ano e meio com a guerra civil, anunciou o Ministério da Saúde.

A epidemia começou nos campos lotados da ONU na capital, Juba, onde milhares de pessoas buscaram refúgio desde o início da guerra civil, afirmou o ministro Riek Gai Kok.

Outros casos foram detectados fora da cidade.

Pelo menos 167 pessoas morreram entre mais 6.400 casos detectados em uma epidemia no ano passado, mas o problema foi contido.

"Os exames de laboratório confirmaram que há uma epidemia de cólera", disse Riek Gai Kok, antes de assegurar que o governo está melhor preparado para lidar com o problema.

Conter a epidemia de cólera - transmitida através da água potável ou de alimentos contaminados - representará um novo desafio para o governo e as agências de cooperação.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e as ONGs organizam uma campanha de vacinação para mais de 100.000 pessoas, segundo o ministério da Saúde.

Desde o início da guerra civil em dezembro de 2013, mais de dois milhões de pessoas fugiram de suas casas e mais de 137.000 civis vivem atualmente nos campos da ONU.

Dois terços da população de 12 milhões de pessoas precisam de ajuda, segundo a ONU.

A guerra civil começou quando o presidente Salva Kiir acusou o ex-vice-presidente Riek Machar de planejar um golpe, o que provocou uma onda de violência étnica.

AFP