AFP

Guillermo Lasso em Quito, no dia 3 de abril de 2017

(afp_tickers)

O candidato opositor Guillermo Lasso rejeitou nesta segunda-feira os resultados das eleições no Equador, que deram como ganhador o socialista Lenín Moreno.

"Nesta ocasião em que participo pela segunda vez como candidato à Presidência do Equador, não posso aceitar estes resultados porque não correspondem à vontade popular", disse Lasso em coletiva de imprensa em Quito.

O ex-banqueiro, que obteve 48,84% dos votos contra 52,16% para Moreno com 99,29% dos votos apurados, assegurou que "há fraude na contagem de votos, a fraude é grosseira".

Lasso advertiu que impugnará os resultados "assim que forem oficialmente declarados" e destacou que, segundo suas estimativas, "ganhamos as eleições com uma margem que oscila entre quatro pontos percentuais e seis pontos percentuais".

O candidato, que em 2013 perdeu as eleições para o presidente em fim de mandato Rafael Correa, tem previsto ir à sede do Conselho Eleitoral (CNE), em Quito, onde seus simpatizantes se concentraram para pedir transparência na contagem de votos.

"Nosso objetivo será pedir a recontagem de votos", disse Lasso, que antes de dar as declarações reuniu-se com a missão de observação da Organização de Estados americanos (OEA).

O candidato acrescentou que se na recontagem o partido governista Aliança País "ganhar por um voto, aqui estou para aceitar e reconhecer esta vitória".

O CNE tem prazo de dez dias para entregar os resultados definitivos das eleições de 2 de abril.

AFP

 AFP