Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O líder indígena Salvador Quishpe (C) após confronto com a polícia em Quito no dia 13 de agosto

(afp_tickers)

Um grupo de 30 indígenas foi detido e cinco policiais ficaram feridos nesta segunda-feira durante a remoção de um bloqueio de estrada no sul do Equador, em meio aos protestos contra o presidente Rafael Correa, informaram as autoridades locais.

Os incidentes ocorreram quando um grupo de indígenas saraguros fechou uma importante estrada da província de Loja, o que provocou uma operação da polícia e de militares para restabelecer o trânsito, disse à AFP a governadora local, Johanna Ortiz.

A ação da polícia degenerou em choques violentos e "há cerca de 30 pessoas detidas, além de cinco policiais feridos, dois gravemente devido a um coquetel molotov que atingiu o peito de um dos agentes", disse Ortiz.

A governadora destacou que os manifestantes tentaram impedir o desbloqueio da estrada utilizando "coquetéis molotov, pedras e fogos de artifício", além de deter duas autoridades da província.

A Confederação de Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie), principal organização de nativos contrária ao governo, denunciou a forte repressão policial e militar, com a detenção arbitrária de manifestantes.

AFP