Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Rafael Correa, presidente do Equador, durante coletiva de imprensa em Quito, em 4 de junho de 2014

(afp_tickers)

A União Europeia (UE) e o Equador alcançaram nesta quinta-feira um acordo para a incorporação do país sul-americano ao acordo comercial multilateral já assinado por Colômbia e Peru, indicou o ministro equatoriano do Comércio, Francisco Rivadeneira.

"O Equador terminou o processo para se incorporar ao acordo", disse Rivadeneira à imprensa em Bruxelas.

O Equador buscava selar o acordo rapidamente, para compensar a perda das preferências tarifárias que a UE lhe concede, e que ficarão sem efeito em dezembro.

O presidente equatoriano, Rafael Correa, havia declarado na segunda-feira que o acordo seria fechado nesta semana.

"É preciso ser realista. Em dezembro acabam as preferências alfandegárias para o principal mercado não petrolífero do país", disse Correa.

No ano passado, o governo de esquerda equatoriano renunciou a uma parte das vantagens alfandegárias concedidas pelos Estados Unidos - seu principal sócio comercial - por divergências políticas, e compensou os exportadores pela perda desses benefícios.

Segundo dados da Comissão Europeia, as importações europeias de produtos equatorianos alcançaram em 2013 o valor de 2,6 bilhões de euros (US$ 3,5 bilhões) e as exportações ao país sul-americano somaram 2,3 bilhões de euros (US$ 3,1 bilhões).

AFP