Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Foto cedida pelo Ministério colombiano das Relações Exteriores mostra o presidente do Equador, Rafael Correa, em Cartagena, no dia 28 de outubro de 2016

(afp_tickers)

O Equador enviará um "alto funcionário do governo" para solicitar informação sobre os supostos subornos entregues pela construtora brasileira Odebrecht a funcionários equatorianos, anunciou neste sábado o presidente Rafael Correa.

"Estamos buscando informação no Brasil. Vamos mandar um alto funcionário do governo a pedir informação ao Brasil", disse Correa em seu relatório semanal de trabalhos, sem informar o nome do enviado.

"Tomara que o Departamento de Justiça [dos Estados Unidos] nos dê logo os nomes que a Odebrecht lhes forneceu", expressou o presidente.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos revelou em dezembro que a Odebrecht pagou entre 2007 e 2016 cerca de 33,5 milhões de dólares a funcionários oficiais do Equador e que a empresa encontrou problemas com a aprovação de projetos em 2007 e 2008.

Após essa revelação, o Ministério Público do Equador abriu uma investigação, mas o governo equatoriano disse que não admitirá "sem provas" as versões de funcionários da Odebrecht.

AFP