Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A escritora canadense Margaret Atwood afirmou que os Estados Unidos de Donald Trump lhe relembram a Europa na década de 1930

(afp_tickers)

A escritora canadense Margaret Atwood afirmou neste sábado que os Estados Unidos de Donald Trump relembram a Europa na década de 1930 e advertiu que o mundo se encontra "em um momento de mudança".

"Acredito que seja um momento de agitação em todas as partes", afirmou a autora, de 77 anos, na Feira do Livro de Frankfurt.

"Dá a sensação dos anos 1930", afirmou em coletiva, em referência ao auge dos líderes populistas e do fascismo, que desembocou na Segunda Guerra Mundial.

"E o que surpreende muita gente na Europa é que isso também está acontecendo nos Estados Unidos", que durante muito tempo foi considerado "um modelo de democracia", acrescentou.

O livro de George Orwell "1984" e seu próprio romance de 1985 "O Conto da Aia", sobre um regime totalitário em que as mulheres férteis vivem como escravas sexuais, ressurgem agora porque esses mundos já não parecem tão distantes, considera.

"As pessoas sentem que, de repente, é uma realidade possível", afirmou Atwood, romancista e poeta canadense famosa por seus contos premonitórios.

"The Handmaid's Tale" é agora uma grande série de televisão. E seus característicos mantos vermelhos e gorros brancos se tornaram símbolos de protesto nos Estados Unidos contra as ameaças ao acesso das mulheres aos serviços de saúde sob a administração Trump.

Nos Estados Unidos "existe um sentimento estendido de insatisfação e resistência, mas ainda não surgiu uma figura que o lidere", considerou.

Na sua opinião, o Partido Republicano está "desarranjado" e o Partido Democrata ainda deve formular a sua resposta a essa situação.

"Se perguntam o que os democratas vão propor, porque por enquanto é mais: onde estão?", afirmou.

E sobre a pergunta que faria a Trump, respondeu ironicamente: "pode acabar com essa conta no Twitter, por favor?".

A escritora está em Frankfurt para receber, no domingo, um prêmio anual da indústria editorial alemã pelo conjunto de sua obra.

Os jornalistas perguntaram a Atwood, cujo nome aparece regularmente para o Prêmio Nobel de Literatura, se estava decepcionada por este ano o vencedor ter sido o romancista britânico Kazuo Ishiguro.

"Estou muito acostumada a não vencer o Nobel, por isso realmente não me preocupa", respondeu.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP