Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia, durante a Assembleia Geral da ONU, em Nova York, em 19 de setembro de 2017

(afp_tickers)

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, exigiu nesta terça-feira que os curdos iraquianos suspendam o referendo do próximo fim de semana sobre a independência, reafirmando as consequências que enfrentarão se continuarem.

"Devem ser evitados passos como pedidos de independência que possam causar novas crises e conflitos na região. Por isso, fazemos um chamado ao Curdistão iraquiano a abortar a iniciativa que lançaram nessa direção", disse Erdogan em um discurso na Assembleia Geral da ONU.

"Ignorar a postura clara e decidida da Turquia sobre este assunto pode levar a um processo que privará o Curdistão iraquiano das oportunidades que atualmente tem", acrescentou.

Os curdos iraquianos votarão no domingo em um referendo não vinculante sobre se querem ou não a independência em uma região autônoma desde as consequências da Guerra do Golfo, em 1991.

Praticamente todos os países, entre eles os Estados Unidos e o Irã, se opõem ao referendo, com exceção de Israel, que vê uma possível abertura em uma região hostil.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP