Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(26 jun) Bombeiros caminham em uma estrada cuja vegetação foi atingida pelo fogo, perto do Parque Nacional Doñana

(afp_tickers)

O grande incêndio que atinge desde sábado (24) o parque natural de Doñana, no sul da Espanha, está "controlado", anunciaram nesta terça-feira (27) autoridades.

Mais de 2.000 pessoas precisaram deixar suas casas em razão do fogo.

O serviço de combate aos incêndios de Andaluzia (sul), Infoca, informou no Twitter que o fogo está contido, mas não foi extinto.

A situação foi comprovada pelos bombeiros, que sobrevoaram a região afetada esta manhã, segundo Infoca.

Cerca de 130 bombeiros florestais, com 12 carros de bombeiros, seguiram mobilizados na madrugada desta terça-feira para controlar o fogo, que começou a perder intensidade no final da tarde de segunda, graças aos ventos moderados.

As autoridades não informaram a superfície devastada pelas chamas, que não causaram vítimas.

Mas segundo o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), ao menos 10.000 hectares de floresta foram atingidos.

As 230 pessoas que passaram a noite em refúgios foram autorizadas a retornar para a casa, enquanto todas as estradas foram reabertas, tuitou o ministro espanhol do Interior, Juan Ignacio Zoido.

Após o incêndio ser declarado na noite de sábado para domingo, 2.100 pessoas foram evacuadas, principalmente de uma área de camping e de um hotel. Centenas delas foram para ginásios de escolas e outras instalações municipais.

O fogo também obrigou a desocupação na noite de domingo para segunda-feira de um centro de criação de linces ibéricos, espécie ameaçada e símbolo do parque Doñana. Uma fêmea morreu em razão do estresse sofrido.

O Parque Nacional Doñana é uma das mais importantes reservas de zonas úmidas da Europa, abrigo de 4.000 espécies e de todo o tipo de ave migratória.

As autoridades regionais indicaram que o incêndio foi provocado por ação humana, apesar de não informar se foi intencional ou por negligência.

A Espanha está sofrendo uma seca precoce nessa temporada, e várias áreas do país estão em perigo máximo de incêndio. Entre elas, grande parte da província andaluz de Huelva, onde fica o parque.

Em Portugal, 64 pessoas morreram, e mais de 250 ficaram feridas, em incêndios devastadores que foram controlados na semana passada.

AFP