Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A presidente afastada Dilma Rousseff deixa o Palácio do Planalto, em Brasília, no dia 12 de maio de 2016

(afp_tickers)

O chanceler espanhol, José María García-Margallo, expressou nesta quinta-feira, em Quito, a preocupação do seu país com a situação política no Brasil, depois do afastamento temporário da presidente Dilma Rousseff, e confiou em que se resolva "o quanto antes".

"A Espanha tem uma preocupação importante com o que está acontecendo. O Brasil é um parceiro estratégico para a Espanha em termos políticos e em termos econômicos", disse García-Margallo, em coletiva de imprensa na chancelaria equatoriana, no âmbito de uma visita para tratar de temas de cooperação.

Nesta quinta-feira, o Senado suspendeu a presidente Dilma por até 180 dias, durante os quais será submetida a um julgamento político, acusada de "crime de responsabilidade" por suposta maquiagem de contas públicas.

A presidente foi substituída interinamente por seu vice, Michel Temer.

García-Margallo, que se reuniu em Quito com o colega equatoriano, Guillaume Long, manifestou o desejo de que os brasileiros "resolvam o quanto antes e da forma mais satisfatória para os interesses generais" a situação política.

Ela ressaltou que o Brasil "tem uma importância capital" e que lidera o caminho para um acordo entre a União Europeia (UE) e o Mercosul, uma das "prioridades dos eixos básicos da política externa espanhola".

AFP