Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(2006) Retrato de Miguel Ángel Blanco durante uma manifestação em Madri por ocasião do julgamento dos autores do crime

(afp_tickers)

A Espanha lembrou, nesta segunda-feira (10), o 20º aniversário do sequestro e assassinato do vereador Miguel Ángel Blanco pelas mãos da ETA, momento que marcou uma guinada na luta contra a organização separatista basca, agora desarmada.

Cerca de 80 atos estão previstos até quinta-feira (13), quando se completa o aniversário da morte deste jovem de 29 anos, então vereador pelo conservador Partido Popular (PP) na localidade basca de Ermua.

"Recordar Miguel Ángel Blanco (...) é recordar essa mobilização cidadã, é recordar essa conscientização cívica e democrática na luta contra o terrorismo", disse sua irmã María del Mar, em homenagem na sede nacional do PP em Madri.

"Miguel Ángel Blanco está não apenas na lembrança, na cabeça e na mente dos membros do Partido Popular, mas de todos os espanhóis", acrescentou o presidente do governo e do PP, Mariano Rajoy.

Miguel Ángel Blanco foi sequestrado em 10 de julho de 1997, nove dias após a libertação do agente penitenciário José Antonio Ortega Lara, mantido como refém da ETA por mais de 500 dias.

Pouco depois do sequestro de Miguel, a ETA deu um ultimato de 48 horas ao governo conservador de José María Aznar para que aceitasse o reagrupamento no País Basco de seus presos espalhados pelo país.

O ultimato enfrentou a rejeição do Executivo e da sociedade, o que significou "o princípio do fim" da ETA, relembrou María del Mar Blanco.

Segundo a Fundação Miguel Ángel Blanco, seis milhões de pessoas foram às ruas em todo território para exigir sua libertação e, depois, para condenar o grupo por sua morte.

Finalmente, depois de manter o país 48 horas em suspenso, a organização cumpriu sua ameaça e executou Miguel com dois tiros na cabeça, amarrado em um descampado na periferia da cidade basca de Lasarte.

Ele foi encontrado agonizante por moradores e faleceu no hospital, depois das quatro da manhã de 13 de julho.

AFP