Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Imigrantes ilegais aguardam no porto de Tarifa, após serem resgatados pela guarda costeira espanhola enquanto tentavam cruzar o Estreito de Gibraltar em pequenos barcos.

(afp_tickers)

Mais de 830 imigrantes foram socorridos nesta terça-feira na costa espanhola, com a chegada excepcional de centenas de imigrantes subsaarianos em um único dia à cidade espanhola de Melilha, na fronteira com o Marrocos.

Durante um dia de intenso patrulhamento de barcos de salvamento marítimo no estreito de Gibraltar, foram resgatadas 836 pessoas que tentaram chegar do norte da África em 84 embarcações precárias.

Desde sábado, foram mais de 1.200 imigrantes socorridos.

"O 'Guardamar Calíope' (um dos barcos de resgate) estará a noite toda no mar para o que acontecer", disse à AFP um porta-voz do Salvamento Marítimo.

A fonte não especificou o número de mulheres e crianças das últimas seis embarcações encontradas ao anoitecer, mas nas 78 anteriores foi confirmada a presença de 20 menores, entre eles vários bebês.

Cobertos por mantas da Cruz Vermelha, os imigrantes foram levados para o porto espanhol de Tarifa, no extremo sul do país, onde foram recebidos por agentes da Guarda Civil equipados com luvas de borracha e máscaras médicas em pleno alerta internacional de epidemia de Ebola. Mais de mil pessoas já morreram na África, vítimas dessa febre hemorrágica.

"As máfias e as redes de crime organizado que se dedicam ao tráfico ilegal de pessoas aproveitam o bom tempo", disse o subdelegado do governo espanhol em Cádiz, Javier de la Torre.

"No ano passado aconteceu exatamente a mesma coisa (...) Quando acabou a celebração do Ramadã, houve outra onda de imigrantes", lembrou.

Para acolher os resgatados, a prefeitura de Tarifa disponibilizou um ginásio esportivo e já considera oferecer um segundo diante das chegadas crescentes nos últimos dias. O Salvamento Marítimo resgatou 299 pessoas na segunda-feira; 27, no domingo; e 41, no sábado.

"Não sabemos o que vai acontecer nos próximos dias, na medida em que sabemos que teremos tempo bom por mais três ou quatro dias. É possível que esta avalanche se mantenha ou até cresça", afirmou o prefeito Juan Andrés Gil.

- 'Nunca vimos o que aconteceu hoje' -

Para a Cruz Vermelha, que cuida da assistência sanitária dos resgatados, o número de imigrantes desta terça-feira é inédito.

"É verdade que em apenas um dia nunca vimos o que aconteceu hoje", afirmou o porta-voz da instituição Miguel García à rádio pública espanhola.

Segundo a imprensa local, durante a grande crise migratória de 2006, ano recorde em que mais de 39.000 pessoas chegaram à Espanha, o maior número de resgatados em um dia foi de 512.

Nos últimos meses, disparou o número de imigrantes clandestinos que tentam entrar na Espanha, ou na Itália.

Madri pediu ajuda à União Europeia (UE) a fim de conter a chegada de pessoas da África subsaariana e do Magreb às cidades de Melilha e de Ceuta, as únicas duas fronteiras terrestres entre a UE e o continente africano.

Ontem, a Marinha italiana anunciou ter socorrido mais de dois mil imigrantes durante o fim de semana no canal da Sicília, que separa o norte da África da costa da Itália.

AFP