AFP

Mulher deposita flores na área do Borough Market, em memória das vítimas

(afp_tickers)

O espanhol Ignacio Echeverría, conhecido como "herói do skate" por ter se posicionado com seu skate entre uma mulher e os autores do atentado de Londres, está morto, confirmaram nesta quarta-feira o governo espanhol e seus familiares.

Depois de uma espera de quase quatro dias desde o atentado, quando Ignacio foi dado como desaparecido, as autoridades britânicas confirmaram que o espanhol de 39 anos é uma das oito vítimas fatais do ataque de sábado, indicou um comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

"Meu irmão Ignacio tentou parar alguns terroristas e perdeu sua vida tentando salvar outras pessoas", escreveu sua irmã Isabel no Facebook. "Igna te amamos e nunca te esqueceremos", expressou.

Sua outra irmã, Ana, agradeceu no Facebook "a todos os que [ele] amou e cuidou. Sabemos que não somos os únicos tristes", em uma mensagem em que lamentou que "até sexta-feira" não poderão "estar com o seu corpo", segundo notificaram as autoridades em Londres.

A demora na confirmação da morte de Echeverría, o último dos oito mortos a ser identificado, gerou críticas do governo espanhol.

"Não posso deixar de expressar certa perplexidade de que três dias depois do acontecido não tenham confirmado qual é o destino" de Echeverría, disse de Moscou o ministro dos Assuntos Exteriores, Alfonso Dastis.

"O que está acontecendo com a família, insisto, é desumano", chegou a dizer o ministro do Interior, Juan Ignacio Zoido.

Depois de confirmarem a sua morte, o presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, disse estar "consternado" ao enviar suas condolências à família. "O recordaremos sempre por seu ato heroico e exemplar", tuitou.

Ignacio Echeverría, especialista na luta contra a lavagem de dinheiro no banco HSBC em Londres, estava passeando com alguns amigos quando presenciou os ataques de sábado à noite.

Segundo relataram os amigos que o acompanhavam, se colocou entre um dos agressores, que estavam armados com facas, e uma mulher que estava sendo atacada.

A última vez que o viram, estava caído no chão.

Durante a angustiante busca, os pais e Ana viajaram a Londres, onde vive a outra irmã, Isabel. Ignacio também tinha outros dois irmãos.

AFP

 AFP