AFP

Sangue no muro e no chão da Universidade Abdul Wali Khan, em Mardan, em 13 de abril de 2017

(afp_tickers)

Um estudante de jornalismo conhecido por suas opiniões liberais foi golpeado até a morte nesta quinta-feira por centenas de alunos em uma universidade do noroeste do Paquistão, informaram a polícia e testemunhas.

Mashal Khan foi despido, golpeado, ferido por bala, e empurrado do segundo andar de sua residência da universidade Abdul Wali Khan em Mardan, indicaram fontes do estabelecimento.

Vídeos da cena mostram como dezenas de jovens lançando projéteis e chutando o corpo do estudante jogado no chão.

Este homicídio aconteceu depois que as autoridades paquistanesas se manifestaram nas últimas semanas contra a blasfêmia. Essa questão é muito sensível no Paquistão, país conservador onde criticar o islã é condenado com pena de morte.

"O estudante foi brutalmente assassinado por outros estudantes", informou à AFP um oficial de polícia, Niaz Saeed. "Foi torturado depois de ter sido ferido com bala; golpeado com varas, tijolos", detalhou. Centenas de pessoas estão envolvidas no assassinato, segundo ele.

Pelo menos 11 estudantes foram detidos, informou a polícia, e o campus foi fechado até nova ordem.

Saeed não detalhou o motivo do crime, que é objeto de uma investigação.

Uma fonte policial disse, contudo, que vários estudantes se queixaram às autoridades universitárias das opiniões consideradas como laicas de Mashal Khan.

No mês passado, o primeiro-ministro, Nawaz Sharif, ordenou a retirada de todos os conteúdos blasfemos das redes sociais da internet.

AFP

 AFP