Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A ação menciona os laboratórios americanos Johnson & Johnson, Allergan, Purdue Pharma e Endo Health Solutions, assim como o israelense Teva

(afp_tickers)

O estado americano de Ohio apresentou uma demanda nesta quarta-feira contra cinco grupos farmacêuticos acusados de dissimular os riscos de vício relacionados ao consumo de analgésicos à base de opiáceos, que estão por trás de uma grave crise de saúde pública nos Estados Unidos.

"Estes fabricantes de medicamentos fizeram acreditar (...) que os opiáceos não causavam dependência, que o vício era fácil de superar ou que podia ser tratado ingerindo ainda mais opiáceos", assegurou em um comunicado Mike DeWine, procurador desse estado do norte do país.

A ação menciona os laboratórios americanos Johnson & Johnson, Allergan, Purdue Pharma e Endo Health Solutions, assim como o israelense Teva, especializado em genéricos, indicou o escritório do procurador.

Ohio quer que os cinco grupos admitam sua culpa e indenizem o estado e os pacientes.

Segundo o comunicado, suas práticas "fraudulentas" e marketing "enganoso" sobre os perigos dos analgésicos contribuíram para "acelerar" a prescrição de opiáceos e alimentar a crise, que afeta Ohio particularmente.

Nesse estado, 1.155 personas morreram em 2015 por overdose de fentanil, um potente analgésico opioide, mais que o dobro do que em 2014, segundo dados oficiais.

Em todo o país, mais de 15.000 pessoas morreram de overdose de medicamentos em 2015, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP