Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, Nikki Haley, durante sessão "Direitos Humanos e Democracia na Venezuela", no Conselho de Direitos Humanos da organização, em 6 de junho de 2017, em Genebra

(afp_tickers)

A embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, disse neste domingo (30) que a Venezuela está dando "um passo para a ditadura", ao realizar a polêmica eleição dos membros da Assembleia Constituinte convocada pelo presidente Nicolás Maduro.

"A eleição fraudulenta de Maduro é outro passo para a ditadura. Não aceitaremos um governo ilegítimo. O povo venezuelano e a democracia vão prevalecer", tuitou Nikki, ao comentar a eleição.

Na última quarta-feira (26), os Estados Unidos anunciaram a adoção de sanções econômicas contra 13 funcionários e ex-funcionários do governo da Venezuela por "minarem a democracia", participarem de atos de violência e de corrupção. Na lista, está a presidente do Conselho Nacional Eleitoral, Tibisay Lucena.

Esse foi o terceiro pacote de sanções aplicado por Washington contra venezuelanos. Em fevereiro, incluiu o vice-presidente e um assessor e, em maio, congelou bens de oito juízes do Tribunal Supremo de Justiça.

Há uma semana, o presidente Donald Trump já havia ameaçado adotar sanções "fortes e rápidas", caso o governo de Caracas levasse adiante seu plano de realizar uma Assembleia Constituinte.

AFP