Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O comandante das Farc Ivan Marquez durante discurso em Havana, no dia 26 de agosto de 2015

(afp_tickers)

Um guerrilheiro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) declarou nesta quarta-feira ante uma corte do distrito de Columbia (Washington) sua culpa no sequestro de três empreiteiros americanos em 2003, informou o Departamento de Justiça.

Diego Alfoso Navarrete Beltrán, suposto integrante do Bloqueio Sul das Farc, declarou sua culpa em três crimes de sequestro, e pode ser condenado à prisão perpétua.

O juiz Royce Lamberth proferirá em novembro a sentença contra Navarrete, que foi extraditado da Colômbia em 2014.

"Com este ato, Diego Alfonso Navarrete Beltrán admitiu sua participação no sequestro e cativeiro de três americanos pelas Farc, uma organização terrorista colombiana", declarou o promotor americano encarregado da segurança nacional, John Carlin, em um comunicado.

Em fevereiro de 2003, um avião que sobrevoava a selva colombiana no trabalho de inteligência com cinco pessoas a bordo foi derrubado pelas Farc. No local do acidente, foram assassinados os americanos Tom Hanis e o colombiano Luis Alcides Cruz, enquanto os americanos Thomas Howes, Keith Stansell e Marc Gonsalves foram sequestrados pelo grupo rebelde.

Segundo a acusação, Navarrete atuou como um dos guardas armados que vigiavam os sequestrados.

Após mais de cinco anos de cativeiro, os três reféns americanos foram resgatados em 2 de julho de 2008 na Operação Jaque, a mesma operação que libertou outras 15 pessoas, entre elas a ex-candidata presidencial colombiana-francesa Ingrid Betancourt.

Segundo o Departamento de Justiça, outros dois membros das Farc foram condenados por seu papel no sequestro.

O colombiano Alexander Beltrán Herrera foi extraditado aos Estados Unidos em 2012, e foi condenado a 27 anos de prisão por sua relação com o mesmo caso.

Octavio Orrego Sánchez, acusado pela derrubada do avião e do sequestro, foi capturado no último mês de abril.

AFP