AFP

(Arquivo) Ivanka Trump e Jared Kushner, em Washington DC, em 3 de março de 2017

(afp_tickers)

A filha do presidente dos Estados Unidos Ivanka Trump e seu marido, Jared Kushner, mantêm seus investimentos no setor imobiliário e seus negócios de centenas de milhões de dólares enquanto ocupam cargos do governo, segundo documentos publicados nesta sexta-feira pela Casa Branca.

Desde que Donald Trump foi eleito, em novembro, seu vasto império financeiro tem sido examinado de perto por especialistas em ética e jornalistas, que consideram a possibilidade de surgirem graves problemas de conflitos de interesses e inúmeros questionamentos pela ausência clara de uma delimitação entre seus negócios - e os de sua família - e sua função política.

Os documentos divulgados nesta sexta-feira mostram que Ivanka e Kushner, ambos assessores oficiais do presidente, continuam recebendo os rendimentos de seus ativos, que ficam entre 240 e 740 milhões de dólares.

Ivanka Trump, que há alguns dias anunciou que será a assessora honorária do presidente americano, manterá sua parte, estimada em entre 5 milhões e 25 milhões de dólares, no Trump International Hotel, próximo à Casa Branca. Entre janeiro de 2016 e março de 2017, esta parte rendeu entre 1 milhão e cinco milhões de dólares, segundo os documentos.

Vários observadores mostraram preocupação pela possibilidade de que grupos de pressão ou governos estrangeiros possam se hospedar no luxuoso hotel Trump de Washington com o objetivo de obter benefícios do governo.

Jared Kushner foi designado recentemente por seu sogro para dirigir um gabinete da Casa Branca encarregado de utilizar as ideias do mundo dos negócios para reduzir os gastos do governo, segundo o Washington Post.

Kushner, 36 anos, é um dos principais assessores de Trump e tem muita influência nos temas nacionais e internacionais.

Abandonou muitos cargos do alto escalão em mais de 200 entidades vinculadas ao império imobiliário de sua família, segundo os documentos da Presidência, mas continuará recebendo os rendimentos de diversas holdings familiares.

Os documentos divulgados pela Casa Branca descrevem também os ativos de Gary Cohn, ex-presidente do banco Goldman Sachs, que dirige o Conselho Nacional de Economia (NEC, em inglês), e de Steve Bannon, assessor estratégico de Donald Trump.

Cohn possui ativos de entre 253 e 611 milhões de dólares, e uma renda de 77 milhões de dólares em 2016.

Os ativos mais importantes de Bannon são os de sua empresa particular de consultoria, avaliada entre 5 milhões e 25 milhões de dólares. Declarou ter recebido 191 mil dólares como consultor do site de informações pró-Trump Breitbart News, que comandava anteriormente, e mais de 125 mil dólares por ter trabalhado na empresa de dados Cambridge Analytica, que trabalhou para a campanha de Trump.

A administração Trump é considerada uma das mais ricas da história dos Estados Unidos. A agência Bloomberg calcula que as fortunas acumuladas por seus ministros e funcionários de alto escalão superem 12 bilhões de dólares.

AFP

 AFP