Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Estacionamento onde os migrantes foram encontrados

(afp_tickers)

O motorista americano que transportou 200 migrantes ilegais do México aos Estados Unidos em um caminhão, em que dez morreram de asfixia, se declarou culpado e será condenado em janeiro.

James Matthew Bradley, de 61 anos, aceitou as acusações de conspiração para transportar migrantes tendo como resultado a morte, ao admitir sua participação no incidente ocorrido em julho.

Ele pode ser condenado à prisão perpétua, depois que a Justiça desistiu de pedir a pena capital.

Espera-se que o juiz anuncie a sentença em 22 de janeiro.

A Polícia descobriu no estacionamento de um supermercado de San Antonio, no estado do Texas (sul dos Estados Unidos) 39 imigrantes ilegais que tinham sido transportados no caminhão.

Os ilegais contaram às autoridades que viajavam no veículo 200 pessoas, guatemaltecas e mexicanas, que se revezavam para respirar devido ao calor sufocante provocado pelo dano ao sistema de refrigeração.

"Este caso é uma recordação flagrante de que os traficantes de seres humanos agem por cobiça e não se importam com a saúde e o bem-estar das pessoas", declarou em um comunicado Shane Folden, membro da divisão de Investigação do Departamento de Segurança Interna.

Um grande júri federal condenou em setembro, no mesmo caso - por acusações de conspiração para tráfico de pessoas - Pedro Silva Segura, de 47 anos, que vivia ilegalmente na cidade de Laredo, na fronteira do Texas com o México.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP