Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Seis policiais americanos foram baleados na noite de sexta-feira para sábado nos estados da Flórida e Pensilvânia, dois deles fatalmente

(afp_tickers)

Seis policiais americanos foram baleados esta madrugada nos estados da Flórida e da Pensilvânia, dois deles mortalmente, o que levou o presidente Donald Trump a manifestar suas condolências e solidariedade em um tuíte postado nas primeiras horas de sábado.

Na cidade de Kissimmee - perto do Disney World Resort e de outros parques de diversões -, no centro da Flórida, morreu o oficial Matthew Baxter pouco depois de ser baleado na sexta-feira à noite; seu colega, o sargento Richard "Sam" Howard, morreu neste sábado por consequência dos tiros, anunciou o Departamento de Polícia no Twitter.

Os dois detiveram suspeitos à 01h30 GMT de sábado (22h30 de Brasília de sexta-feira) em uma zona na qual costumam traficar drogas. Cinco minutos depois as autoridades receberam um chamado informando que os policiais haviam sido baleados.

Um suspeito, identificado como Everett Miller, foi detido.

"Meus pensamentos e orações estão com @KissimmeePolice e seus entes queridos. Estamos com vocês!", tuitou Trump no início deste sábado.

Em Jacksonville, também na Flórida, o escritório do xerife respondeu a um chamado pelo caso de uma tentativa de suicídio na noite de sexta-feira e, ao chegar ao local, um suspeito disparou com um rifle, disse o diretor do escritório, Mike Bruno. Um tiroteio teve início, deixando dois agentes feridos. O suspeito foi abatido e os agentes estavam em situação estável neste sábado.

Na Pensilvânia, dois agentes estaduais foram feridos por disparos na noite de sexta-feira em Fairchance, disse a polícia do estado.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP