Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A democrata Danica Roem

(afp_tickers)

A candidata democrata Danica Roem, 33 anos, se tornou na terça-feira (7) a primeira transexual a ser eleita legisladora nos Estados Unidos ao conquistar um assento na Assembleia do estado da Virgínia.

A vitória de Danica Roem ganha mais notoriedade por desbancar Robert Marshall, um candidato republicano conservador em final de mandato, conhecido por se posicionar contra os direitos da comunidade LGBT.

Segundo resultados praticamente definitivos, Roem obteve 55% dos votos, derrotando Marshall. Ele ocupava uma cadeira na Assembleia há 26 anos.

Em seu histórico, Marshall propôs uma lei com o objetivo de que transexuais utilizassem banheiros correspondentes ao órgão sexual com o qual nasceram, além de, durante a campanha, ter se recusado repetidamente a tratar sua adversária como uma mulher.

Danica Roem será a primeira pessoa transgênero a ocupar uma cadeira em assembleia legislativa nos EUA, representando um pequeno distrito próximo à cidade de Manassas.

"Agora tenho a oportunidade de mostrar aos habitantes do meu 13º distrito, assim como ao resto do mundo, que as pessoas trans podem ser excelentes legisladoras", disse ela nesta quarta-feira (8) à AFP, de 33 anos.

Danica, a quem foi atribuído o gênero masculino quando nasceu e que iniciou em 2012 a sua transição, ficou surpresa ao ganhar um assento na terça-feira na Assembleia do estado da Virgínia, estado que também optou por um governador democrata.

"A discriminação exclui, enquanto a mensagem de tolerância é uma mensagem vencedora", comentou a legisladora eleita, orgulhosa de sua origem popular e pelo reconhecimento de seu distrito, situado no sudoeste da capital federal, Washington.

A ex-jornalista evitou trazer para a campanha a questão LGBT e apresentou uma plataforma voltada para questões locais, como os problemas de trânsito em seu distrito. Apesar de ter sido muito local, sua campanha eleitoral despertou um grande interesse na mídia americana e internacional.

A Victory Fund, organização que financia candidaturas LGBT, confirmou que a jovem será a primeira pessoa trans em uma Assembleia nos 50 estados da União.

"Apenas um punhado de pessoas disse (...) que não votaria em mim porque sou trans", revelou Roem à AFP em outubro.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP