Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Mísseis que derrubaram dois caças ucranianos nesta quarta-feira no leste do país foram disparados da Rússia, segundo conselho

(afp_tickers)

Os Estados Unidos possuem evidências de disparos de artilharia efetuados contra posições ucranianas a partir da Rússia, indicou nesta quinta-feira uma autoridade americana.

Moscou também está planejando fornecer plataformas de lançamento de mísseis aos separatistas pró-russos no leste da Ucrânia, declarou à imprensa a porta-voz adjunta do Departamento de Estado, Marie Harf, explicando que as provas tinham sido obtidas pelos serviços de inteligência americanos.

Ainda segundo informações americanas, desde que uma aeronave da Malaysia Airlines foi derrubada em 17 de julho, as armas "continuam a atravessar a fronteira" para a Ucrânia, indicou Marie Harf, que evitou especificar a natureza dessas informações.

"Disparam artilharia a partir da Rússia para atacar o Exército ucraniano", afirmou.

No campo de batalha, os combates entre as forças de Kiev e rebeldes separatistas se concentram no controle da fronteira entre a Rússia e a Ucrânia, parcialmente ocupada por separatistas, o que permite aos insurgentes receber reforços de Moscou.

Pouco antes de sua renúncia nesta quinta-feira, o primeiro-ministro da Ucrânia, Arseni Yatseniuk, acusou indiretamente a Rússia de ter derrubado, com um míssil disparado por um caça, um dos dois aviões de guerra Sukhoi ucranianos abatidos quarta-feira na região.

AFP