Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Joseph Hinson, presidente da United Americas Shipping Services, mostra um ferry de sua companhia que poderá viajar a Cuba, no dia 27 de fevereiro de 2015, em Miami

(afp_tickers)

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos informou nesta terça-feira ter emitido licenças a algumas empresas americanas para que operem serviços de ferry com passageiros a Cuba, o que acontece pela primeira vez em meio século.

O escritório de Controle de Ativos Estrangeiros do Tesouro "emitiu certas licenças específicas para serviços de ferry com passageiros", indicou à AFP uma porta-voz desta instância, Hagar Chemali.

Os passageiros que forem transportados devem estar dentro das doze categorias sob as quais se permite aos americanos viajar a Cuba, entre as quais visitas familiares ou com fins acadêmicos, culturais, esportivos e religiosos, segundo as diretrizes do Tesouro.

O turismo continua sendo proibido.

A medida ocorre em meio à aproximação histórica anunciada em dezembro por Washington e Havana, depois de meio século de inimizade.

Pelo menos uma empresa de navegação da Flórida (sudeste dos EUA) confirmou à AFP ter recebido luz verde do Tesouro, embora tenha destacado que o serviço deve receber a aprovação de outras agências do governo americano, assim como de Cuba.

"A ação de hoje foi um grande passo adiante", disse à AFP Joseph Hinson, presidente da United Americas Shipping Services, com sede em Miami.

Atualmente, as viagens dos Estados Unidos à ilha são feitas exclusivamente por companhias de voos fretados. Os serviços de embarcações entre a Flórida e Cuba foram interrompidos na década de 1950.

AFP