Navigation

EUA avalia sanções contra Rússia por apoiar Maduro

O representante especial dos Estados Unidos para a Venezuela, Elliott Abrams, fala com jornalistas durante sessão informativa no departamento de Estado em 25 de junho de 2019 em Washington DC. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 24. julho 2019 - 19:45
(AFP)

Os Estados Unidos avaliam impor sanções à Rússia por seu apoio à Venezuela e pretendem adotar, nas próximas horas, novas medidas para pressionar a saída do presidente Nicolás Maduro, informou nesta quarta-feira um alto funcionário do governo de Donald Trump.

Durante um fórum da Fundação para a Defesa das Democracias (FDD) em Washington, o representante especial americano para a crise venezuelana, Elliott Abrams, defendeu mais sanções para pressionar por uma mudança de regime na Venezuela, onde há uma "ditadura".

"Estamos tratando de cortar o fluxo de dinheiro para o regime, e acredito que estamos tendo um impacto bastante considerável. A pressão continuará e amanhã teremos mais sanções", disse Abrams, sem dar detalhes.

O diplomata antecipou mais sanções sobre Havana, e não descartou medidas contra Moscou por apoiar Maduro, que acusa Washington de liderar a "guerra econômica" para derrubá-lo.

"As pressões sobre Cuba aumentaram muito a partir de janeiro e seguirão aumentando. `A Rússia, ainda estamos pensando que sanções aplicar, se individuais ou setoriais".

Abrams destacou que o governo de Vladimir Putin facilita a venda do petróleo venezuelano, objeto de sanções dos EUA.

Os russos "não estão injetando dinheiro na Venezuela, estão tirando dinheiro da Venezuela, mas ajudam a comercializar o petróleo...".

Abrams destacou o apoio de Cuba e Rússia como "crucial" para Maduro, cujos guarda-costas "são cubanos".

"Se o regime cubano não o apoiasse já teria partido", afirmou Abrams, destacando que o interesse de Havana é claro: "petróleo grátis".

"O papel russo é em parte psicológico e político: apoiar Maduro, bloquear as coisas no Conselho de Segurança da ONU e passar a sensação de que há um grande país por trás" do regime de Maduro.

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?

Boletim de Notícias
Não foi possível salvar sua assinatura. Por favor, tente novamente.
Quase terminado… Nós precisamos confirmar o seu endereço e-mail. Para finalizar o processo de inscrição, clique por favor no link do e-mail enviado por nós há pouco

Leia nossas mais interessantes reportagens da semana

Assine agora e receba gratuitamente nossas melhores reportagens em sua caixa de correio eletrônico.

A política de privacidade da SRG SSR oferece informações adicionais sobre o processamento de dados.