Navigation

EUA chamam militares a seguir general rebelde venezuelano, diz Bolton

O conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, em foto de 28 de janeiro de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 02. fevereiro 2019 - 19:45
(AFP)

O conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, chamou neste sábado (2) os militares venezuelanos a seguirem o exemplo do general Francisco Yánez, que disse não reconhecer o presidente Nicolás Maduro.

"Os Estados Unidos chamam todos os militares a seguirem o exemplo do general Yánez e a proteger os manifestantes pacíficos que apoiam a democracia", declarou no Twitter Bolton, em alusão ao vídeo publicado por Yánez, o militar de mais alta patente na ativa a reconhecer a autoproclamação de Juan Guaidó como presidente interino.

Maduro denunciou neste sábado um "plano macabro" do presidente americano, Donald Trump, para intervir no país e derrubá-lo, depois de Washington reconhecer Guaidó e, nesta semana, o vice-presidente, Mike Pence, dizer que "todas as opções estão sobre a mesa" para restaurar a democracia na Venezuela.

Em outro tuíte dirigido aos altos oficiais, Bolton disse que "agora é o momento de se colocar ao lado do povo venezuelano".

"É seu direito e sua responsabilidade para defender a Constituição e a democracia da Venezuela!", afirmou Bolton.

O governo de Trump reconheceu Guaidó no mesmo dia de sua autoproclamação em 23 de janeiro.

"Este não é o momento para o diálogo, este é o momento para a ação", afirmou Pence durante um ato com venezuelanos na Flórida.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.