AFP

(Arquivos) Scott Pruitt, no dia 18 de janeiro de 2017

(afp_tickers)

O diretor da agência americana de proteção do meio-ambiente (EPA), Scott Pruitt, disse nesta sexta-feira que Washington deve deixar o acordo de Paris contra o aquecimento global.

Pruitt, principal integrante do governo de Donald Trump a tornar pública essa posição, disse ao canal de televisão Fox que esse acordo deve ser "examinado de perto", e aproveitou para opinar: "Para mim, os Estados Unidos devem sair".

O diretor da EPA disse que o pacto adotado por 195 países em dezembro de 2015 é "um mal negócio para os Estados Unidos".

Além disso, ressaltou que a China -o maior Estado emissor de dióxido de carbono (CO2) do mundo- e a Índia -outro grande país poluidor-, "não têm qualquer obrigação no marco desse acordo até 2030".

Enquanto isso, ele lembrou que os "Estados Unidos -segundo maior emissor de gases de efeito estufa do mundo- já sofrem todos os custos".

O governo de Trump afirmou que examinará a posição a ser adotada em relação às mudanças climáticas e à política energética sem informar, até o momento, se respeitará a promessa eleitoral de "anular" a participação dos Estados Unidos no acordo de Paris.

O presidente disse em março que deve tomar a decisão até o fim de maio. O tema gera divisões dentro de seu governo.

AFP

 AFP