Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente americano Donald Trump embarca no Air Force One, no dia 4 de agosto de 2017

(afp_tickers)

Estados Unidos e o mundo têm "apenas uma voz" sobre a Coreia do Norte, afirmou nesta quarta-feira o departamento de Estado americano, rejeitando qualquer divergência entre o presidente Donald Trump e seu gabinete e recordando as sanções da ONU a Pyonyang.

Seja a Casa Branca, o departamento de Estado ou o departamento de Defesa, "estamos falando com apenas uma voz. O mundo está, de fato, com uma só voz" nesta caso, declarou o porta-voz da diplomacia americana Heather Nauert.

A funcionária recordou a resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas que endurece as sanções contra Pyongyang pelo desenvolvimento de seu programa de armas, adotada há menos de uma semana.

Sobre a ameaça de Trump de "fogo e ira" contra o regime comunista norte-coreano caso o líder Kim Jong-Un prossiga com suas ameaças aos Estados Unidos e sobre as declarações do presidente destacando o poderio do arsenal nuclear americano, Nauert avaliou que são parte da "campanha de pressões" para dissuadir Pyongyang.

"Esta campanha funciona", afirmou Nauert, destacando que Trump e o secretário de Estado, Rex Tillerson, conversaram durante uma hora sobre os propósitos do presidente.

"O que causa alarme", segundo Nauert, não são as declarações de Tump, mas sim os testes mísseis intercontinentais realizados pela Coreia do Norte.

"É uma preocupação para o mundo e não apenas para os Estados Unidos. Estas ações são alarmantes. São ações provocativas por parte da Coreia do Norte".

AFP