Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Combatentes curdos distribuem água e indicam o caminho para famílias iraquianas desalojadas da comunidade Yazidi, que cruzam a fronteira entre o Iraque a Síria.

(afp_tickers)

O governo americano iniciou o envio urgente de armas para as forças curdas no Iraque para combater o avanço de extremistas do Estado Islâmico, informou o Departamento de Estado nesta segunda-feira.

"Os curdos precisam de armas adicionais. Estamos proporcionando o material e trabalhando para entregar mais", disse a porta-voz da pasta, Marie Harf, à imprensa.

"O governo iraquiano fez entregas de seus próprios arsenais, e nós estamos trabalhando para fazer o mesmo, em coordenação com as partes relevantes", completou.

Harf revelou que essa cooperação começou na semana passada, mas não disse qual departamento, ou organismo americano se encarrega da entrega, nem quantas armas, ou qual tipo de armamento foi enviado.

Os Estados Unidos têm um consulado em Erbil, capital da região autônoma do Curdistão iraquiano. O apoio aos curdos complicou as relações de Washington com o governo de Bagdá, que mantém tensas relações com os dirigentes da região.

Harf insistiu em que os dois lados estão lutando juntos para deter o avanço dos islâmicos. "Vimos um nível de cooperação sem precedentes entre as forças iraquianas e as curdas. É algo que não existia no passado. Ambos estão se ajudando", afirmou a porta-voz.

Na última quinta-feira, 7 de agosto, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, autorizou ataques aéreos no Iraque, advertindo que extremistas do Estado Islâmico estão em posição de ameaçar o pessoal americano em Erbil e cometer um "genocídio" contra minorias religiosas.

AFP