Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O repórter americano James Foley (L) na estrada entre o aeroporto e a cidade líbia de Sirte.

(afp_tickers)

Forças dos Estados Unidos fizeram "recentemente" uma operação para resgatar os reféns americanos em poder do Estado Islâmico na Síria, mas fracassaram, anunciou o Pentágono nesta quarta-feira, um dia depois da divulgação de um vídeo que mostra a execução do jornalista James Foley.

"No início deste verão (hemisfério norte), o presidente (Barack Obama) deu luz verde a uma operação destinada a resgatar cidadãos americanos sequestrados e detidos pelo Estado Islâmico na Síria", explica a Presidência americana em um comunicado.

Essa operação falhou "porque os reféns não estavam presentes" no local indicado pela inteligência americana, revelou o Pentágono.

Nem a Casa Branca nem o Pentágono indicaram a identidade ou o número de reféns que os militares tentaram resgatar na operação.

O anúncio é feito um dia depois da divulgação de um vídeo em que o jornalista americano James Foley é executado por integrantes do Estado Islâmico, um grupo sunita radical presente na Síria e no Iraque. Foley foi sequestrado no final de 2012.

No mesmo vídeo, o Estado Islâmico ameaça executar outro refém americano, Steven Sotloff, em resposta aos ataques aéreos dos Estados Unidos contra posições do grupo no norte do Iraque.

AFP