Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O representante de comércio Robert Lighthizer

(afp_tickers)

Os Estados Unidos abriram formalmente nesta sexta-feira uma investigação sobre as supostas violações da China às normas de propriedade intelectual, anunciou o escritório do representante de comércio Robert Lighthizer.

A investigação se baseia no artigo 331 do código de comércio de Estados Unidos que outorga ao presidente poderes para aplicar políticas comerciais sem consultar necessariamente a Organização Mundial de Comércio (OMC).

Em um comunicado, Lighthizer disse que na última segunda-feira o presidente Donald Trump pediu que investigasse se a China viola "os direitos de propriedade intelectual em matéria de investigação e desenvolvimento tecnológico americanos".

Depois do pedido de Trump as autoridades chinesas deram a entender que poderiam responder com represálias comerciais.

"Se os Estados Unidos tomarem medidas que possam afetas os intercâmbios comerciais bilaterais (...) a China não ficará sem reagir", disse o ministério chinês de Comércio na terça-feira.

Pequim insiste que qualquer controvérsia comercial deve ser resolvida no âmbito da OMC.

Washington se queixa de que as empresas americanas são obrigadas a aliar-se com companhias chinas como condição para acessar esse mercado. As empresas americanas dizem que ficam expostas ao compartilhamento de suas tecnologias com os chineses.

Esta nova investigação se soma a outras iniciadas por Washington contra a China, especialmente sobre o comércio de aço e de alumínio.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP