Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Fumaça negra toma conta da paisagem de uma área de Gaza, após um ataque israelense.

(afp_tickers)

Os Estados Unidos manifestaram preocupação nesta terça-feira com o rompimento do cessar-fogo em Gaza entre palestinos e Israel, e apontou como responsável o movimento islamita Hamas.

"Estamos muito preocupados com o ocorrido hoje. Condenamos a retomada dos disparos de foguetes e, como dissemos, Israel tem o direito de se defender desses ataques", declarou a porta-voz do Departamento de Estado, Marie Harf, ao falar do "rompimento do cessar-fogo no enclave palestino de Gaza.

A porta-voz considerou que "o Hamas é responsável pela segurança em Gaza" e que "os foguetes são disparados de Gaza".

"Pedimos o fim imediato dos disparos de foguetes e a retomada das conversas por um cessar-fogo", reiterou Harf, afirmando que Washington espera uma trégua duradoura ou, pelo menos, um "prolongamento do cessar-fogo temporário".

Antes, um representante do movimento islamita palestino Hamas na delegação de negociadores no Cairo havia advertido que as chances de um cessar-fogo duradouro com Israel na Faixa de Gaza "se evaporam".

O governo americano apoia Israel no conflito, criticando o Hamas, considerado um grupo "terrorista", embora tenha condenado os ataques israelenses a civis palestinos, principalmente contra as escolas da ONU em Gaza.

AFP