Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A porta-voz do Departamento de Estado americano, Marie Harf, durante uma coletiva de imprensa em Washington, em 24 de julho de 2014.

(afp_tickers)

Os Estados Unidos pediram nesta quinta-feira que a Ucrânia tenha "cautela" para limitar as mortes de civis durante os combates contra os rebeldes pró-russos.

"Ressaltamos a importância da cautela para reduzir o número de vítimas civis", disse a jornalistas a porta-voz do Departamento de Estado, Marie Harf.

"Pedimos aos ucranianos que tomem todas as medidas necessárias para evitar atingir a população local em sua tentativa de libertar a cidade dos separatistas", acrescentou Harf, que pediu especificamente que não sejam usadas armas que possam apresentar maior risco aos civis.

Entretanto, a porta-voz reiterou que os Estados Unidos apoiam as autoridades ucranianas em seu combate contra a insurgência pró-russa e acusou os separatistas de atuarem deliberadamente em áreas civis.

"Apoiamos os ucranianos. Estão em uma batalha dura e achamos que o objetivo deve ser que estas cidades não fiquem sob o controle dos separatistas", considerou Harf.

Violentos confrontos provocaram a morte de 74 civis nos últimos dias na região de Donetsk (leste), de acordo com as autoridades locais.

AFP