Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A embaixadora americana na ONU, Nikky Haley

(afp_tickers)

A embaixadora americana na ONU, Nikki Haley pediu nesta quinta-feira uma ação internacional para resolver a crise na Venezuela. O pedido veio após a proposta de mediação aprovada por Washington não conseguir o apoio necessário para ser aprovada na Organização dos Estados Americanos (OEA).

"A situação trágica da Venezuela pede uma ação internacional", afirmou Haley em um comunicado divulgado um dia após a derrota da proposta americana na reunião dos 34 estados integrantes da OEA, no México.

"Os venezuelanos estão morrendo de fome enquanto seu governo esmaga a democracia", acrescentou. "A comunidade internacional deve atuar mesmo se o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas e a Organização dos Estados Americanos estejam impedidos de fazê-lo.

Durante a reunião da OEA, que durou três dias, a proposta de mediação regional defendida pelos Estados Unidos não venceu a oposição dos aliados do presidente Nicolás Maduro e das nações do Caribe que se beneficiam do petróleo venezuelano vendido a preços baixos.

Haley não deu detalhes sobre as próximas ações de seu país, mas, em maio, os Estados Unidos pediram uma reunião no Conselho de Segurança da ONU sobre a Venezuela. Pela primeira vez o órgão mais alto das Nações Unidas tratou desta crise.

A Venezuela sofre desde abril uma onda de protestos de oposição, que já deixou 74 mortos.

AFP