Navigation

EUA preocupados com informes de americano agredido em prisão israelense

Mãe de Tariq Abu Khder exibe foto de seu filho, em Jerusalém Oriental. Os pais de Tariq disseram à AFP que seu filho foi detido em Shuafat, após ser agredido pela polícia. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 05. julho 2014 - 21:14
(AFP)

Os Estados Unidos anunciaram neste sábado que estão profundamente preocupados com os informes segundo os quais o adolescente americano Tariq Khdeir, detido em Israel, foi "severamente agredido" enquanto estava sob custódia da polícia.

Os pais de Tariq Abu Khder, o primo de 15 anos de um jovem palestino morto no começo da semana, disseram à AFP que seu filho foi detido em Shuafat, após ser agredido pela polícia na quinta-feira, durante visita de férias ao local.

A porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki, disse em um comunicado que os Estados Unidos "condenam com firmeza qualquer uso excessivo da força" no caso de Tariq Khdeir, primo do palestino assassinado esta semana e que foi detido em Jerusalém oriental neste sábado.

Confrontos eclodiram nos últimos dias após o sequestro e morte do primo de Tariq, Mohammed Abu Khder, de 16 anos, enquanto a autópsia revelou que ele foi queimado vivo.

Os palestinos informaram que extremistas judeus o mataram para vingar o sequestro e morte, no mês passado, na Cisjordânia, de três adolescentes israelenses.

Tariq ainda estava sob custódia israelense, confirmou Psaki, acrescentando que um funcionário do consulado americano o visitou no sábado.

"Estamos profundamente consternados com os informes de que ele foi severamente agredido enquanto estava sob custódia da polícia", disse Psaki em um comunicado.

"Estamos pedindo uma investigação rápida, transparente e confiável, bem como a total responsabilização por qualquer uso excessivo de força", acrescentou.

Os disparos de foguetes de Gaza na direção de Israel também se intensificaram, aumentando o temor de uma escalada da violência entre o Estado hebreu e o movimento islamita Hamas, que controla o enclave palestino.

"Reiteramos nossas sérias preocupações sobre a escalada dos incidentes violentos e pedimos a todos os lados que deem passos para restaurar a calma e prevenir danos a inocentes", disse Psaki.

Um vídeo postado nas redes sociais (www.youtube.com/watch?v=HDENWwEDGr4) mostra o que parece ser a polícia de fronteira israelense agredindo e chutando uma pessoa algemada e aparentemente semi-consciente, que pode ser Tariq, segundo se acredita, antes de levá-lo.

Os pais, que visitaram o filho em um hospital israelense, disseram que lhes contaram que Tariq tinha sido detido por estar encapuzado.

Uma porta-voz da polícia, Luba Samri, não pôde confirmar que o indivíduo do vídeo se tratava de Tariq, mas afirmou que a filmagem era da prisão de um grupo de seis palestinos, entre os quais estava o jovem.

O ministério da Justiça, enquanto isso, informou que estava investigando o vídeo.

Tariq deve se apresentar a um tribunal em Jerusalém este domingo.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.