Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O chanceler iraniano Zarif lamentou que a ONU não aja para conter supostos crimes cometidos por Israel.

(afp_tickers)

Uma integrante da equipe de negociadores americanos envolvida nas conversas em torno do programa nuclear iraniano prometeu nesta terça-feira que qualquer acordo alcançado com o Irã vai incluir um rígido monitoramento para frustrar qualquer tentativa de desenvolver em segredo armas nucleares.

Para cada medida prevista em qualquer acordo com o Irã com o objetivo de impedir seu programa nuclear "decidiremos se realmente é necessário um elemento adicional de transparência e controle", enquanto ela durar, disse a negociadora dos Estados Unidos, Wendy Sherman, que não indicou se houve uma extensão nas complicadas discussões para depois da data limite de 24 de novembro.

As negociações entre o Irã e as potências mundiais em Viena terminaram no dia 19 de julho depois que os negociadores pediram mais quatro meses para tentar resolver divergências importantes e chegar a um acordo nuclear histórico.

Não se sabe quando começará a próxima fase de negociações ou onde serão realizadas, embora espera-se que aconteçam nas imediações da Assembleia Geral da ONU em setembro.

Perguntada sobre se os Estados Unidos e seus aliados no chamado grupo P5+1 rejeitariam qualquer ampliação das conversas, Sherman negou.

"Aprendi nas negociações que é muito difícil dizer o que vai acontecer no fim de qualquer período", disse Sherman, funcionária do Departamento de Estado.

"Nossa intenção é concluir isto no dia 24 de novembro em uma direção ou em outra".

Se o Irã não chegar a um acordo, Sherman advertiu que "sanções adicionais" serão impostas.

AFP