Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Rebeldes no centro da Síria

(afp_tickers)

O Tesouro americano colocou nesta quarta-feira três empresas em sua lista de sancionados acusados de vender produtos petrolíferos e armas ao Governo da Síria.

O Tesouro declarou em um comunicado que a Pangates International Corporation, una empresa do Emirados Árabes Unidos, havia fornecido combustível para a aviação e aditivos para a Sitrol, a companhia petrolífera estatal síria que se encontra sob as sanções do Governo americano.

Ao mesmo tempo, e para aumentar a pressão sobre o regime de Bashar al-Assad, o Tesouro sancionou duas companhias sírias ligadas ao Centro de Investigações e Estudos Científicos da Síria (SSRC), acusadas de desenvolver e produzir armas químicas e biológicas, assim como mísseis, para o Exército de Assad.

"Estamos determinados a exercer uma pressão econômica e financeira sobre aqueles que sustentam o regime de Assad", comentou em um comunicado David Cohen, subsecretário do Tesouro a cargo da lucha contra o terrorismo.

As sanções congelam os ativos que estas empresas possam ter dentro da jurisdição americana, e proíbe os americanos de fazer negócios com elas.

AFP