Navigation

Evo Morales é apoiado por Mães da Praça de Maio

O ex-presidente da Bolívia Evo Morales durante protesto das Mães da Praça de Maio, em 26 de dezembro de 2019, em Buenos Aires. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 27. dezembro 2019 - 01:02
(AFP)

O ex-presidente da Bolívia Evo Morales participou nesta quinta-feira de uma passeata, em Buenos Aires, com a associação humanitária Mães da Praça de Maio, em meio a bandeiras latino-americanas e cartazes exigindo "liberdade para os presos políticos".

"Evo não está só!" - gritavam as cerca de 300 pessoas que participaram do protesto em torno do ex-presidente refugiado na Argentina após o que ele considera um golpe de Estado na Bolívia.

As Mães da Praça de Maio, que desde 1977 denunciam assassinatos e desaparecimentos cometidos pelas ditaduras argentinas, protestaram diante da Casa Rosada, a residência presidencial argentina, como fazem toda a quinta-feira.

Mas nesta quinta o protesto teve maior adesão devido à presença de Morales, que agradeceu às ativistas e ao presidente Alberto Fernández "por acompanhar a luta contra a ditadura na Bolívia".

Morales, 60 anos e que ocupou a presidência da Bolívia por 14, renunciou no dia 10 de novembro, após duas semanas de protestos por sua reeleição em um processo considerado fraudulento pela oposição, o que foi posteriormente confirmado pela OEA (Organização dos Estados Americanos).

"Estamos trabalhando lado a lado com os companheiros porque a Bolívia está sofrendo: há pessoas assassinadas, desaparecidas e muitas outras que não são atendidas nos hospitais", denunciou a presidente da organização, Hebe de Bonafini.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.