Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente boliviano, Evo Morales, em Bruxelas, em 8 de junho de 2017

(afp_tickers)

O presidente boliviano, Evo Morales, no poder desde 2006, disse nesta quinta-feira (21) que a possibilidade de se candidatar a um quarto mandato para o período de 2020-2025 "está nas mãos do Tribunal Constitucional", mas a oposição teme que ele se reeleja indefinitivamente.

No início de 2016, após Morales perder um referendo no qual buscava aval para tentar se reeleger, seu partido, o Movimento Ao Socialismo (MAS), traçou quatro possibilidades de tentar manter o poder do líder indígena.

Um deles é um recurso para que o Tribunal Constitucional invalide os artigos propostos pela Carta Magna de 2009 que impedem a reeleição de Morales.

A oposição teme que o Tribunal Constitucional sofra influências, uma vez que Morales, em entrevista a Telesur, argumentou que a independência de poderes "está a serviço dos 'imperialistas'".

O ex-sindicalista chegou ao poder em 2006 e já ganhou três eleições presidenciais. Nessa última vez, após aprovar uma nova Constituição em 2009.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP