Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente da Bolívia, Evo Morales, durante discurso em Sucre, no dia 4 de novembro de 2016

(afp_tickers)

O presidente boliviano Evo Morales disse, nesta segunda-feira, com base nos cabos do WikiLeaks, que os Estados Unidos financiaram com cerca de 4 milhões de dólares em anos passados grupos opositores de direita para desestabilizar seu governo com atos "terroristas".

"Segundo e-mails trocados, entre 2006 e 2009, a Agência (dos Estados Unidos) para o Desenvolvimento (USAID) entregou pelo menos 4 milhões de dólares a movimentos separatistas" de quatro dos nove departamentos do país, afirmou o governante esquerdista em um ato público.

Depois, Morales afirmou em sua conta pessoal do Twitter que Washington deu esse dinheiro aos opositores "que cometeram atos terroristas para nos dividir em 2008", sem identificar especificamente quem foram os destinatários dessa ajuda financeira.

O presidente acrescentou que o governo teve acesso a milhares de cabos do WikiLeaks que mostram como a Casa Branca "patrocinou" ataques em sua gestão desde que chegou ao poder em 2006.

AFP