Navigation

Evo Morales garante respeitar candidatura de Jeanine Áñez na Bolívia

Morales participa de entrevista coletiva em Buenos Aires afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 25. janeiro 2020 - 22:10
(AFP)

O ex-presidente boliviano Evo Morales garantiu que respeita a candidatura da mandatária interina Jeanine Áñez para as eleições do próximo 3 de maio, enquanto pediu um pleito transparente, em declarações dadas neste sábado na Argentina, onde está refugiado.

"É seu direito, embora embora ela tenha se comprometido não ser candidata, assim como (o líder civil regional Luis Fernando) Camacho", disse Morales à imprensa um dia depois de Áñez anunciar sua decisão de concorrer à presidência da Bolívia.

"Existem várias alianças à direita. Nós respeitamos, é um direito democrático. Esperamos que, como governo de fato da ditadura, garanta eleições limpas, transparentes e saudáveis", acrescentou o ex-presidente durante uma reunião com a comunidade boliviana.

A candidatura de Áñez abalou totalmente o tabuleiro político e gerou críticas de vários setores políticos.

Até agora, os ex-presidentes Carlos Mesa e Jorge Quiroga haviam se lançado para a corrida presidencial, bem como o líder civil regional Luis Fernando Camacho, um ator-chave nos protestos que levaram à renúncia de Morales.

Soma-se a eles o ex-ministro da Economia Luis Arce, apoiado por Morales, e seu Movimento ao Socialismo (MAS), que está asilado no México.

"Quando estávamos no governo, nós nunca proibimos ninguém de disputar a campanha. Se quisermos que seja uma boa democracia, têm que garantir a campanha livre", comentou Morales.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.