Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente boliviano, Evo Morales, participa de coletiva de imprensa, em Asunción, no dia 29 de junho de 2015

(afp_tickers)

O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou que venderá gás mais barato para o Paraguai, em visita oficial feira nesta segunda-feira ao seu colega paraguaio Horacio Cartes.

Morales anunciou que em dois meses o gás importado pelo Paraguai será mais barato graças a um convênio assinado entre a Gerência Nacional de Redes de Gás (YPFB) da Bolívia e a Petróleos Paraguayos (Petropar).

"Daqui a 60 dias, a YPGB e a Petropar vão trabalhar juntos. A garrafa de gás aqui custa 17 dólares. Se trabalhamos, custaria 12 dólares ao povo paraguaio", disse Morales sobre a garrafa de 10 quilos utilizadas nos lares do país.

Cartes demonstrou sua satisfação pelo acordo.

Além da questão do gás, os dois presidentes discutiram acordos de cooperação em segurança e comércio, e a formalização de um Centro Fronteiriço Único para o fácil acesso de cidadãos dos dois países.

Também esteve na agenda do encontro bilateral a utilização pela Bolívia da hidrovia Paraguai-Paraná, a construção de uma linha de transmissão elétrica que una os dois países e a entrada oficial da Bolívia no Mercosul, que está pendente desde a última cúpula, no final de 2014.

AFP