Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente do Equador, Rafael Correa (dir.), o representante do governo colombiano Juan Camilo Restrepo (centro) e o representante do ELN Pablo Beltran (L), em negociações, em Quito, sobre cessar-fogo

(afp_tickers)

Um chefe do ELN, a única guerrilha em atividade na Colômbia, morreu em combates com o Exército no noroeste do país, informaram fontes oficiais nesta segunda-feira.

"Felicitamos @COL_EXERCITO pela neutralização de 'Pescado', líder da Frente Heróis de Anorí do ELN, em Antioquia", escreveu o presidente Juan Manuel Santos no Twitter.

"Pescado", também conhecido por "Ferney", morreu nas "últimas horas" em uma operação conjunta do Exército e da Força Aérea Colombiana na zona de Conchas, município de Anorí, informaram fontes militares.

O líder rebelde integrava há 21 anos o Exército de Libertação Nacional (ELN, guevarista) e era procurado por organização criminosa, extorsão, rebelião, utilização de meios e métodos de guerra ilícitos e homicídio, entre outros crimes.

O Exército destacou que com a morte de "Pescado" se atinge o financiamento da direção nacional e do Comando Central (COCE) do ELN, pois as extorsões, mineração ilegal e atividades de narcotráfico controladas pelos rebeldes produziam 100 milhões de pesos (34 mil dólares) mensais para a guerrilha.

O governo de Santos e o ELN estabeleceram diálogos de paz em fevereiro para superar meio século de conflito armado, mas as conversações se desenvolvem sem uma trégua.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP