AFP

O presidente do Equador, Rafael Correa (dir.), o representante do governo colombiano Juan Camilo Restrepo (centro) e o representante do ELN Pablo Beltran (L), em negociações, em Quito, sobre cessar-fogo

(afp_tickers)

Um chefe do ELN, a única guerrilha em atividade na Colômbia, morreu em combates com o Exército no noroeste do país, informaram fontes oficiais nesta segunda-feira.

"Felicitamos @COL_EXERCITO pela neutralização de 'Pescado', líder da Frente Heróis de Anorí do ELN, em Antioquia", escreveu o presidente Juan Manuel Santos no Twitter.

"Pescado", também conhecido por "Ferney", morreu nas "últimas horas" em uma operação conjunta do Exército e da Força Aérea Colombiana na zona de Conchas, município de Anorí, informaram fontes militares.

O líder rebelde integrava há 21 anos o Exército de Libertação Nacional (ELN, guevarista) e era procurado por organização criminosa, extorsão, rebelião, utilização de meios e métodos de guerra ilícitos e homicídio, entre outros crimes.

O Exército destacou que com a morte de "Pescado" se atinge o financiamento da direção nacional e do Comando Central (COCE) do ELN, pois as extorsões, mineração ilegal e atividades de narcotráfico controladas pelos rebeldes produziam 100 milhões de pesos (34 mil dólares) mensais para a guerrilha.

O governo de Santos e o ELN estabeleceram diálogos de paz em fevereiro para superar meio século de conflito armado, mas as conversações se desenvolvem sem uma trégua.

AFP

 AFP