Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Vazamento de petróleo do oleoduto Caño limón-Covenas em Chinacota

(afp_tickers)

O Exército da Colômbia acusou nesta segunda-feira a guerrilha ELN, que mantém negociações de paz com o governo, de ter realizado na véspera um atentado contra um oleoduto no leste do país.

"No dia de ontem (domingo), aproximadamente à 14H00 se registrou um atentado terrorista por parte do Exército de Libertação Nacional (ELN) no (...) município Cubará, em Boyacá", que afetou o oleoduto Caño Limón-Coveñas, disse a jornalistas o comandante Álvaro Pérez, que opera na zona.

A estatal Ecopetrol também registrou o atentado, que ocorreu em uma região próxima à fronteira com a Venezuela, e afirmou que foi "o segundo em menos de uma semana" contra esse oleoduto.

O ELN, única guerrilha ativa da Colômbia após a assinatura do acordo de paz, em novembro passado, com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), instalou em 7 de fevereiro em Quito diálogos de paz com o governo para acabar com meio século de conflito armado.

No entanto, nos últimos dias as autoridades atribuíram à guerrilha vários atentados, assim como o sequestro do pai de um prefeito, e a consideram suspeita de uma explosão no domingo no centro de Bogotá, que deixou 26 feridos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP