AFP

O caso de Cuvelier havia sido inicialmente divulgado pelo jornal The Washington Post

(afp_tickers)

O Exército de Estados Unidos licenciou um soldado com dupla nacionalidade francesa e americana que havia se alistado apesar de ter lutado na Ucrânia junto com os separatistas apoiados pela Rússia, informou uma porta-voz nesta terça-feira.

Guillaume Cuvelier, de 29 anos, conseguiu ingressar no Exército americano neste ano apesar de ter conhecidas opiniões favoráveis à extrema-direita francesa e de ter lutado em 2014 pela autoproclamada República Popular de Donetsk, respaldada pelo Kremlin.

O soldado de primeira classe "Guilluame Cuvelier foi licenciado do Exército dos Estados Unidos em 24 de maio de 2017", disse a porta-voz Valerie Mongello em um comunicado, sem especificar a razão dessa medida.

O caso de Cuvelier havia sido inicialmente divulgado pelo jornal The Washington Post, o que levou o Exército a iniciar uma investigação para determinar se havia sido violado algum procedimento de recrutamento em seu ingresso.

Em março de 2014, um decreto presidencial proibiu os cidadãos americanos de ajudar com "fundos, bens e serviços" a República Popular de Donetsk.

AFP

 AFP