Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(10 ago) Ataque do talibã à cidade de Ghazni

(afp_tickers)

O governo afegão afirmou ter retomado neste sábado o controle de Ghazni, cidade de 280 mil habitantes a duas horas de Cabul e disputada pelo talibã, que lançou uma ofensiva há mais de 24 horas.

"Os reforços chegaram a Ghazni. Os combates continuam no norte daquela cidade, mas a situação está sob controle", afirmou na tarde de hoje o Ministério do Interior afegão.

"A cidade não vai cair", insistiu o porta-voz do ministério, Najeeb Danish, em entrevista coletiva. Autoridades afegãs e o talibã travam uma guerra de comunicados.

Segundo Danish, as tropas realizam "operações de busca e limpeza e tomam seu tempo, já que os membros do talibã se escondem entre os moradores", explicou. Não se pôde confirmar esta informação, uma vez que a comunicação está interrompida na maioria dos bairros desde ontem.

Esta é a segunda vez em menos de três meses que o talibã assume o controle, embora temporário, de uma capital de província, após a queda de Farah em meados de maio, recuperada rapidamente por Cabul.

"A cidade ficou relativamente tranquila ontem à noite, as pessoas estão circulando. Mas as operações de limpeza continuam e nos informaram que houve confrontos", confirmou à AFP o porta-voz das forças americanas em Cabul, tenente-coronel Martin O'Donnell. "O talibã não conseguiu nada neste ataque."

- Cidade estratégica -

Uma deputada de Ghazni ouvida pela AFP deu outra versão. "No começo desta tarde, os combates intensos continuavam, e podem prosseguir durante a noite. O medo tomou conta de Ghazni", disse Nafia Azimi. "O governo falhou em proteger a população."

Durante a manhã, foi Shah Gul Rezaye, também deputada de Ghazni, que colocou em dúvida a versão oficial. "O governo de Cabul afirma que a situação está sob controle, mas, nas conversas que tivemos com dirigentes locais, eles nos disseram que os combates continuam em alguns subúrbios da cidade", declarou à AFP.

"Infelizmente, a comunicação foi cortada pelo talibã ontem à tarde, e já não há mais eletricidade na cidade", acrescentou a representante, que não consegue restabelecer contato com sua circunscrição.

O talibã multiplicou os comunicados vitoriosos. "Os mujahedines tomaram um batalhão inteiro esta noite e obtiveram armas, munição e quatro caminhões. Protegem a cidade de Ghazni, impedindo o acesso do inimigo", informou seu porta-voz, Zabihullah Mujahid. Ele também anunciou hoje a tomada de novos postos de controle e "da prisão de Ghazni, cujos detentos foram libertados e levados para locais seguros".

Segundo Najeeb Danish, os combates deixaram em 36 horas 150 mortos entre o talibã e 25 entre as forças de segurança, bem como um técnico da TV afegã. "Foram destruídas parcialmente torres de telecomunicação e estações de rádio e TV", acrescentou.

Segundo o chefe da polícia local, Farid Ahmad Marshal, o talibã iniciou seu ataque entre as 23h e a meia-noite de quinta-feira, quando investiram contra a linha de defesa ao redor da cidade.

Forças americanas intervieram rapidamente realizando bombardeios com drones e helicópteros, a fim de apoiar as forças afegãs que se encontravam em Ghazni aguardando reforço.

A cidade de Ghazni se encontra no eixo estratégico Cabul-Kandahar, duas das principais cidades do Afeganistão. A província de Ghazni é uma das mais instáveis do país, com forte presença do talibã, que, nas últimas semanas, ergueu barricadas ao redor da capital daquela região.

A pressão aumentou ao ponto de nenhum candidato desejar disputar pela província de Ghazni as eleições legislativas de outubro.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP