AFP

Forças iraquianas se concentram no aeroporto de Mossul

(afp_tickers)

O exército iraquiano lançou uma operação contra os combatentes da organização extremista Estado Islâmico (EI) que cercam as forças de segurança na província ocidental de Al-Anbar, anunciaram nesta quinta-feira autoridades militares.

As forças iraquianas, com o apoio aéreo da coalizão liderada pelos Estados Unidos e a ajuda por terra dos combatentes das tribos locais, começaram sua ofensiva ao amanhecer nas zonas desérticas onde os extremistas dispõem de esconderijos, explicou o tenente-coronel do exército.

"As forças de segurança avançam em uma zona chamada 'quilômetro 160', ao oeste de Ramadi, até Nujaib", acrescentou este oficial, baseado em Rutba, posto militar avançado e a última cidade no caminho até a Jordânia.

O objetivo é expulsar os combatentes do EI para o deserto e deixar Rutba em segurança, afirmou o general da divisão, Mahmud al-Falahi, que dirige o Comando de Operações de Al-Anbar.

Cerca de 30 membros dos serviços de segurança morreram nos ataques e emboscadas dos extremistas na região de Rutba nas últimas três semanas.

A Polícia local informou, por sua vez, a descoberta el Al-Anbar de três fossas comuns contendo dezenas de corpos de civis e soldados.

Al-Anbar é uma grande província desértica cortada pelo rio Eufrates na fronteira com Iraque, Síria, Jordânia e Arábia Saudita.

O EI a converteu em seu reduto instalando-se durante a ofensiva que lhe permitiu recuperar o controle de quase um terço do país em 2014.

As forças do governo reconquistaram desde então a maior parte das cidades da província, mas os extremistas dispõem ainda de abrigos no deserto perto da fronteira síria.

O exército efetua igualmente uma grande operação mais ao norte para recuperar as últimas cidades ao longo do Eufrates, ainda controladas pelo EI próximo à fronteira com a Síria.

AFP

 AFP