Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(2016) Aviões russos na base de Hmeimim, Síria

(afp_tickers)

O Exército russo, que intervém na Síria em apoio às forças do governo, declarou nesta sexta-feira (3) que os Estados Unidos impedem que os refugiados sírios recebam ajuda humanitária, considerando que isso pode ser considerado "crime de guerra".

De acordo com o Centro Russo para a Reconciliação das Partes em Conflito, a situação humanitária é muito difícil na região de At Tanf, na fronteira entre a Jordânia e a Síria, onde está instalada uma guarnição da coalizão internacional liderada por Washington.

"O mais urgente é a situação humanitária na região de At Tanf, devido aos Estados Unidos, que implantaram ilegalmente uma base militar e proíbem uma aproximação a menos de 55 quilômetros, privando dezenas de milhares de refugiados da possibilidade de receber ajuda humanitária", disse em um comunicado.

"As ações do Exército americano e da chamada 'coalizão internacional' são uma violação flagrante do direito humanitário e podem ser qualificadas como crimes de guerra", continua o comunicado.

A faixa de 55 quilômetros mencionada pelo Exército russo é, na realidade, a zona de distensão acertada com ele em torno da guarnição de At Tanf para evitar choques acidentais entre as forças russas e as americanas, afirmou o porta-voz do Pentágono, Eric Pahon.

Muitos civis que fugiram das zonas bombardeadas pelo Exército sírio encontraram abrigo nessa área, onde sabem que não serão atacados, explicou.

"Informamos os russos de que estávamos dispostos a facilitar a chegada da ajuda" para esses civis, "mas o regime sírio impediu que esses esforços tivessem resultados", completou Pahon.

No início de outubro, o Exército russo já havia acusado Washington de fornecer "apoio" ao grupo extremista Estado Islâmico (EI) a partir da região de At Tanf.

De acordo com Washington, At Tanf abriga um campo usado pelas forças especiais americanas e britânicas para treinar rebeldes sírios que lutam contra o EI.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP