Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Foto mostra destruição no leste da cidade síria de Deir Ezzor durante operação militar das forças do governo contra o EI, em 4 de novembro de 2017

(afp_tickers)

O exército da Síria cercou, nesta quarta-feira (8), a última cidade do país dominada pelo grupo extremista Estado Islâmico, Bukamal, indicou a agência de notícias oficial SANA.

Apoiado por seus aliados, o exército retomou o controle de várias regiões ao redor de Bukamal, na província de Deir Ezzor (leste, fronteira com Iraque), antes de cercá-la totalmente, segundo a SANA.

"As unidades do exército sírio e as forças aliadas estreitaram totalmente o cerco em torno dos ninhos de terroristas em Bukamal e intensificaram as operações para removê-los da cidade", de acordo com a agência.

Após ter retrocedido na província de Deir Ezzor diante da ofensiva do regime e de outra executada por uma coalizão árabe-curda, os extremistas se entrincheiraram em Bukamal, perto da fronteira com o Iraque.

No começo de novembro, o EI tinha perdido a cidade de Deir Ezzor, capital da província homônima e última grande cidade sob controle na Síria e no Iraque. Foi recuperada pelo regime com apoio crucial de aliados russos, iranianos e do Hezbollah libanês.

Apesar de Bukamal ser uma cidade menor que Deir Ezzor, sua retomada privaria o EI da última região urbana de seu "califado", autoproclamado em 2014 nos amplos territórios conquistados entre Iraque e Síria, que agora desaparece.

Apoiadas nas últimas semanas por bombardeios intensos da aviação militar russa, as tropas sírias avançaram para Bukamal do sul e do oeste.

Ao leste, do outro lado da fronteira, forças iraquianas encurralaram o EI em uma zona fronteiriça.

"O avanço em direção de Bukamal começou logo que as tropas e seus aliados, assim como as forças iraquianas, se encontraram na fronteira entre os dois países", relatou a SANA.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP